Cassino AO VIVO!

                    

Vídeo ao vivo não funciona? Aperte play novamente ou atualize a página.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Stand Up Paddle - SUP - Prancha e remo, um esporte que não para de crescer.

Olá pessoal,

já vi algumas pessoas na praia fazendo algumas perguntas sobre uns carinhas que ficam remando de lá pra cá em cima de umas pranchas grandes e que estão aparecendo aos montes aonde se tem um corpo de água, seja ela calma ou com ondas, na costa ou interior, rios, lagos ou praias. Perguntas como:

" Aquilo é um caiaque? Porque remando em pé? "

" Porque eles ficam remando em pé na prancha se os outros ficam deitados? "

"Deve ser difícil ficar em pé na prancha parado"

Eu mesmo, que nunca subi numa prancha dessas, to sempre perguntando alguma coisa. Algumas me lembro. De que é feito essa prancha? Como vocês varam a arrebentação em dias  de mar grande? Como fazer pra levar uma vaca e não perder o remo? E se perder, tem que ir buscar lá na pqp? Não tem como colocar um leash no remo?

Enfim, essa é a galera do SUP, então fiz o convite ao Lúcio da Escola Vivavento para nos contar um pouco sobre o Stand Up Paddle, ou simplesmente SUP. A remada sobre prancha é um esporte que vem ganhando cada vez mais adeptos e algumas pessoas já me escreveram pedindo informações. Então, segue aí um ótimo texto escrito por quem realmente conhece o assunto. Aproveitem, Augusto.

As Origens

Sup PeruA utilização de embarcações individuais, para a pesca, o transporte e como forma de atividade recreativa, ocorreram em civilizações muito antigas. No Peru, entre 200 a.c. e 700 d.c., os moches utilizavam seus Cabalitos de Totora (embarcação feita de junco) para a atividade de pesca no mar, e pegavam ondas para voltar a praia.  No século IV os polinésios, também tinham o costume de surfar e levaram este costume para o Hawaí aonde a arte de surfar foi aperfeiçoada. Em 1000 d.c. O surfe já era um pilar na cultura polinésia, e era praticado por todos, dos camponeses aos reis.  foto: Roberta Borsari www.suptravessias.com.br

 

Sup antigo

Por volta de 1700, o surf já estava enraizado também na cultura hawaiana, os plebeus surfavam deitados e os chefes em pé com pranchas de 12 a 24 pés, os chefes eram reconhecidos por sua capacidade de surfar e demonstravam sua coragem e habilidade em ondas grandes. As raízes do Stand Up Paddle são também, as origens do surf.

 

OBS: A tradução havaiana é Ku Hoe He'e Nalu, de pé, remar, surfar uma onda.

O Stand Up Paddle moderno, foi popularizado no Hawaí entre as décadas de 20 e 50, quando os chamados Beach Boys, instrutores de surf, na praia de Waikiki utilizavam grandes pranchas com remo, para acompanhar e fotografar os aspirantes a surfistas da época. No Brasil, na década de 30, também há relatos sobre a prática de SUP na cidade de Santos. sup 5

Nos anos 90, no Hawaí, o Stand Up Paddle ganhou maior conotação como Esporte nas mãos de Laird Hamilton e dos watermans que com pranchas modernas e acessórios sofisticados, começaram a utilizar o SUP como treinamento, fazendo travessias e pegando ondas . Agora nos anos 2000 Stand Up Paddle é uma febre mundial, tanto como atividade de lazer ou como esporte profissional.

Preparação antes da remada

O Stand Up está ficando muito conhecido por deixar as pessoas “malhadas” e com saúde, você chega a derreter até 600 calorias por hora, e é ótimo para quem não aguenta ficar dentro de uma academia porque faz o mesmo efeito só que contemplando a natureza na presença dos amigos, mas cuidado, o SUP pode ser prejudicial ao seu corpo se você não respeitar as leis de aquecimento e alongamento antes e depois da remada. O Remo exige muito dos tendões e articulações do seu corpo, se você não estiver bem preparado fisicamente e quiser abusar das distâncias e condições com vento pode ter um ombro, cotovelo ou costas avariadas ou uma tendinite. Se trata de um esporte como qualquer outro, exigindo disciplina com o corpo, já que a carga pode ser pesada se o atleta assim quiser. Procure remar sempre com a postura correta, isso ajuda muito o corpo a ficar bem.

Dicas para quem está iniciando

Eu como instrutor de SUP, vejo algumas pessoas que não fizeram aula se queixando “como é difícil ficar em pé”, “a prancha balança muito”, “não gostei, não é pra mim”. Geralmente quem não vai gostar ou achar difícil é aquela pessoa que pegou a prancha que havia na hora na sua frente de algum amigo quando apareceu uma oportunidade.

sup-kidIsso pode causar sim uma má impressão se o iniciante em questão não for um waterman. Ficar de pé num SUP e sair remando de primeira é muito fácil, é verdade. Porém, somente se observados alguns detalhes como; o lugar onde você vai andar tem que ser com águas calmas, lisas mesmo e de preferência sem vento ou abrigado dele, pois seu corpo em pé age como uma vela em cima da prancha e deve se ter muito cuidado para o vento não te carregar para onde não queres.

Lugares como beira de praia onde há, mesmo que muito pouca, ondulação, será bem mais difícil, uma vez que qualquer pequena onda pode dificultar muito a primeira subida. Outro fator é a prancha certa para aprender, existe uma relação do tamanho da prancha ideal para começar levando em consideração principalmente seu peso e altura, quanto mais pesado e mais alto, maior tem que ser a prancha, mais larga e com mais espessura de borda. A prancha muito grande não quer dizer nada, pois muitas vezes a prancha é de 12 pés e muito estreita sendo muito difícil ficar em pé, sendo o que mais define a estabilidade é a largura e a espessura de borda da prancha. A coordenação e o equilíbrio no stand up sofre uma evolução muito rápida para todo mundo, então funciona mais ou menos assim, hoje foi mais ou menos fácil, amanhã será fácil e depois de amanhã será muito fácil, não tire conclusões precipitadas no primeiro banho.

sup_nathanNão fique com uma impressão errada quanto à facilidade de subir na prancha se você não tentou na melhor condição com a melhor prancha. Por isso é bom fazer uma ou duas aulas no mínimo, já que a Escola vai ter o SUP certo pra você começar e vão te colocar no filé mignon da remada e lá você também poderá testar mais de um tamanho de prancha para ter seu próprio ponto de vista sobre o tamanho ideal, isso é uma dica muito importante principalmente pra quem não é da água. Teste mais de um tamanho de prancha antes de comprar, com certeza a compra vai ser bem mais correta de acordo com o que você precisa. É fácil se enganar no tamanho da prancha já que normalmente o vendedor não lhe viu na água pra lhe dizer o que é melhor ou pior. As pessoas tem equilíbrio diferente e embora com o mesmo peso e altura, muitas vezes fica complicado pro vendedor na loja olhar pra você e acertar se ele não lhe conhecer bem.

sup-wipeEsse equilíbrio melhor ou pior na mesma condição vai depender de alguns fatores como; medo de cair, medo do lugar que não conhece e o frio. O fator “medo” pode ser o fator psicológico que impedirá muitas pessoas de ficarem em pé de primeira, já que o psicológico afeta o sistema nervoso, que por sua vez gera contrações musculares e que por sua vez vai te tirar equilíbrio, já que no SUP o ideal é a descontração muscular. Quanto mais descontraído você estiver mais fácil vai ser ficar em pé, esse vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=pKLCY7RnvgY) mostra muito bem a primeira aula, note na musculatura da perna do cara no início do vídeo e depois no final, no fim ele está totalmente descontraído, note também que a condição não é água bem lisinha. Muitos tentam impedir que a prancha balance endurecendo a musculatura da perna, chegando a mesma a vibrar e definir as fibras na panturrilha, mas o certo é justamente o contrário, você tem que balançar junto com a prancha descontraindo a perna e dobrando um pouco o joelho. Use sempre colete salva-vidas e não vá remar sozinho nos primeiros banhos.

Quando notar que vai cair, abaixe-se, dobre bem os joelhos, porque isso vai diminuir a sua altura e consequentemente baixar seu centro de gravidade aumentando muito sua estabilidade/equilíbrio. Também é importante colocar os calcanhares bem na borda do deck ou da prancha, é nos calcanhares que o peso do seu corpo está sustentado no pé, então é ali que existe a maior força aplicada na prancha, sendo assim quanto mais na borda seu calcanhar estiver, mais aberta estará sua base fazendo com que a prancha balance muito menos já que a força aplicada não está no meio do deck tornando a prancha instável. Não adianta colocar a ponta dos pés (dedos) pra borda e os calcanhares no centro, tipo posição de pés dez pras duas, coloque os pés inteiramente paralelos um com o outro!sup-position

Defina bem qual será o seu perfil pra comprar a prancha certa, por exemplo; Adoro surf, mas moro numa cidade que está longe do mar e que só tem rio, logo não adianta comprar prancha pequena, pois você vai usar a prancha 90% em condições lisas sem onda, e sua prancha te dará no liso muito rendimento se for grande. Não existe prancha que seja muita boa para as duas coisas, ou você surfa bem ou faz bem travessias, a que fizer os dois serviços, não vai fazer um serviço excelente nas duas modalidades, vai quebrar o galho nas duas opções. Às mulheres, eu digo que não comprem pranchas que não consigam carregar sozinhas e colocar e tirar de cima do carro.

sup6sup-action-matero-12-6-003

Quanto maior e mais pesada a prancha, maior inércia ela terá, ou seja, maior capacidade de permanecer em velocidade constante principalmente com mar picado e vento, ela fura melhor o mar, desta forma com estas pranchas você precisa remar menos e fazer menos esforço para manter a velocidade, enquanto que uma prancha pequena você rema muito forte e ela para na mesma hora que você para de remar, já que por ser pequena e leve tem pouca inércia.

sup tipos

Três estilos básicos de pranchas. 1) Surfe, 2) Passeios e águas calmas e 3) Alta performance e remadas longas.

Pranchas de surf pequenas são para surfistas que sabem se posicionar no mar e precisam remar pouco até dropar a onda, ou seja, pegam a onda mais no critico e quando você ver um surfista de 80 Kg pegando onda numa prancha 8.6 por exemplo, não se admire, pode ter certeza que ele vai suar a camiseta pra se equilibrar pra ficar em pé no dia que o mar não estiver liso, os surfistas se preocupam com a estabilidade da prancha somente quando estão na onda, ou seja a prancha não é projetada pra ser super-estável fora da onda enquanto estão esperando a série.

Tipos de construção e parâmetros de preço

Hoje em dia temos basicamente três faixas principais de preços de pranchas, as nacionais geralmente mais baratas, as importadas com marcas não tão antigas e famosas, e as importadas com marcas bem antigas e conhecidas em outros esportes como o kitesurf e o windsurf, é como roupa, você também paga mais pela etiqueta de grife.

Hoje em dia, as construções das pranchas importadas estão com pouca diferença independentemente da marca, todas elas são em resina epóxi, tecidos e bloco de EPS (isopor). Algumas ainda levam outros materiais além da resina, tecido e do isopor que podem ser madeira, divinicel e tecido especial de carbono. Estes últimos materiais são colocados na laminação da prancha para dar maior resistência a trincados e amassados, e depois disso tudo elas ainda levam um bom tratamento de pintura com fundo epóxi, tinta e verniz como um carro.

sup-epssup-bamboo

Clique nas imagens para ampliar

Em geral, as pranchas importadas de todas as marcas são mais duráveis que as nacionais por esta fabricação que envolve mais materiais e resina de melhor qualidade. Porém se você quer uma prancha de alta performance no surf, você consegue bem com os fabricantes nacionais, já que eles vão fazer uma prancha customizada com as suas medidas e mais leve por levar menos materiais e pinturas (geralmente muitas nacionais não levam um tratamento de pintura automotivo), porém vão durar menos. A prancha leve não é sinônimo de durabilidade, pelo contrário, é sinal que menos material foi usado. Esta equação não tem solução, quer prancha com alta performance? Tem que ser leve e pouco durável! Se quiser prancha mais família pra aguentar na mão da pivetada da casa, tem que ser mais pesada e forte. Aí vai depender do uso que você quer dar pra ela. Os preços das pranchas nacionais e importadas de mesmo tamanho podem variar de R$ 1.800,00 a R$ 5.500,00. A melhor escolha vai ser sempre aquela que se adequa melhor a sua expectativa, necessidade de uso e ao seu bolso. Mas procure sempre saber exatamente o que tem dentro da sua prancha, até para saber se realmente ela vale o que estão pedindo por ela. Compre pranchas sempre com quem entende bem do assunto, as pranchas são caras e é sempre melhor comprar com amparo de boas dicas pra não se arrepender.

sup1-2sup1-3

sup1-5sup1-4

Parâmetros extremos de medidas para você entender um pouco sobre as dimensões

Prancha extremamente estável = 33 polegadas de largura X 11 pés de comprimento x 5 polegadas de espessura de borda

Prancha extremamente instável = 27 polegadas de largura x 9 pés de comprimento x 4 polegadas de espessura de borda

Remo

SUPFitO remo ideal para surf é uns 15 cm acima da cabeça e para travessias uns 25 cm acima da cabeça, na dúvida, não cole o remo, vá com 25 cm acima da cabeça com o handle (empunhadura) colado com fita isolante, na prática você vai saber o que é melhor pra você e depois disso pode cortar o cabo e colar o handle definitivamente com resina epóxi (pode ser araldite).

 

 

sup 9

Os remos de carbono são muito mais leves e muito resistentes, por isso são os mais caros, mas mesmo assim, em minha opinião, são os melhores custos benefício, porque duram bastante e não cansam seus braços numa remada mais longa por serem extra-leves. Nos de carbono existe uma fita de carbono tipo fita isolante, mangueirinhas de borracha pra colar na borda, não vá pra água com um remo de carbono sem proteção na beirada da pá, pode quebrá-lo facilmente, eu utilizo fita isolante com três camadas.

 

sup 9-1A fita isolante é elástica e por isso faz as curvas da pá perfeitamente quando esticada e se bem aplicada não fica nenhuma bolha, o acabamento fica impecável, mas vai ter muita diferença se a fita for barata, então compre uma marca boa 3M. A fita deve ser trocada de tempos em tempos a fim de verificar se não tem quebrados por baixo dela que infiltrem água na pá.

A interatividade que o esporte proporciona

Trata-se de um esporte que homens e mulheres, jovens e idosos podem praticar juntos, um esporte que requer pouquíssimo tempo e determinação pra aprender, talvez por isso se veja tantos artistas famosos que tem pouco tempo na vida pessoal praticando, nunca um esporte agregou tanta gente com perfis tão distintos, isso faz do SUP um pretexto pra conhecer muita gente nova e fazer novas amizades dado o crescimento desenfreado que o esporte tem devido a estas facilidades.

sup 7Sem falar que remar em grupo é a maior curtida que existe, porque você vai conhecer lugares novos que eram próximos demais de você e que só se vai por água, onde você era limitado porque não tinha um barco, e ainda vai lá conversando e dando risada com os amigos!

O texto é grande, mas não dá pra falar de SUP brevemente, e as informações acima são só parte da introdução do que se pode aprender no SUP, nem entramos especificamente em cada modalidade.

Espero ter ajudado os iniciantes. Grande abraço,

 

 

VIVAVENTO LOGO[1]Lucio Ribeiro

Instrutor de SUP da Escola Vivavento

53 8115.4946

vivavento@hotmail.com

 

mais informações e fonte das figuras:

http://www.paddlesurf.com.br/

http://supclub.com.br/

http://www.supsurf.com.br/

http://www.standuppaddles.net/

http://www.artinsurf.com/index.php

http://thewavehobbit.wordpress.com/stand-up-paddle-boarding-s-u-p/getting-the-power/

http://www.paddlesurfwarehouse.com/

http://www.hightidesurfshop.com/standup.htm

13 comentários:

Anônimo disse...

SUP é a praga do surf, qualquer mané com um dia de surf pega uma dessas e se acha no direito de surfar no meio do crowd, só porque rema mais de traz acha que tem prioridade na onda. O quanto você surfa, o tempo que você já surfa no pico nem conta mais... ainda bem que quando o mar sobe um pouco estas jangadas ficam inviáveis....

César Vaghetti (Salada) disse...

caraca veio... então tais precisando remar mais... ou rever teus conceitos de quem é mais velho... cito aqui uma meia dúzia de SUP que da uns 100 anos de praia e velejo... eai? e digo mais ja vi vários mares grandes com neguinho lá fora, hehe não vou citar nomes.... então meu chapa... rema veio... rema....

Anônimo disse...

Maneiro o texto! Boa Lucio!! Vou ter que fazer um cofrinho pra pega um desses!!

Anônimo disse...

A inveja é uma merd... sou praticante de sup e nunca fui de surf, ja pego onda mas nao tenho a experiencia necessaria pra pegar onda no critico, na "crownd", portanto nao "atrapalho" os surfistas. A galera que pega onda de Sup na crownd e porque conhecem, tem experiencia, e a maioria vem do surf como falou o Salada, alguns eu nem era nascido e ja mandavam ver no surf. Temos que acabar com essa "rivalidade", o mar e de todos, basta a exclusao e a intolerancia!!!

Lucio Ribeiro disse...

Uma coisa que há de se entender é que a coisa mais difícil que já fizeram é a cabeça humana, O SUP não é a praga do surf, a praga do surf são as pessoas que não tem coerencia e que atrapalham não só o surf como possivelemnte várias outras coisas na vida. Quem anda de SUP no meio do crowd e encomoda pode ter certeza que é uma pessoa mal educada, não pq anda de SUP, mas pq seus Pais não souberam construir um bom ser-humano por motivos que não cabem aqui. Acho que quando a galera do surf ver alguém "incomodando" pode muito bem tentar informar ou ensinar aquela pessoa o que é correto no surf, ao invés de ficar de cara ou esbravejar na água, afinal, embora em RG tenha muito surf, não temos a cultura surf em lugar nenhum, não temos muitas escolas de surf, não temos muitas oficinas de reparos, a cidade não respira o surf como em outros lugares como SC por exemplo. Quero dizer com isso que devido a falta de informação profissional, fica mais difícil ainda pro leigo aprender as regras, ele praticamente depende de quem está ao seu lado na água pra dar alguns toques básicos, mas longe do que seria uma boa instrução. Então se ver um destes "incomodadores do SUP" por aí na água fazendo muita loucura tente ajudá-lo e não condená-lo, em outra vida poderia ser vc lá naquela situação. Gente sem ética vai existir em todo lado, no surf, no sup ou em qualquer outro esporte. Mas tente ajudar os bons que tem ética , mas não tem conhecimento. E se ver q o cara está conhecimento no meio do crowd , pode dizer, "Aqui é perigoso pra vc e pra nós" se ele tiver ética vai se afastar.
A "guerra" quem faz são os seres humanos e não suas armas !
Abraços
Lucio

Leandro disse...

Leandro Vignoli
Bora se divertir nas ondas!! Não importa qual a sua modalidade, Destrua as ondas não as praias! #ficaadica

Anônimo disse...

Eu não sou SURF nem SUP, eu sou BIKE, mas estou viciado em ler o blog do Preto todas as manhãs ... rivalidades à parte, eu tinha curiosidade de saber que caiaque era aquele que a gente ficava em pé remando. Gostei muito das informações. Valeu pela aula Lúcio!
Concordo com o Lúcio, educação é o princípio de tudo.
Preto, parabéns pela democratização do espaço!

César Vaghetti (Salada) disse...

kkkkkkkkk..... vou dar uma dica quando estiverem remando numa mesma onda q um SUP pulem pra prancha dele, é maior e vcs vão dar muita rizada.... fiz isso estes tempos com o Carlo....kkkkk eu gritei vamu junto...(baita esperto né) quando ele viu eu ja tinha pulado pra prancha dele.....kkkkk..... demos boas rizadas...

Augusto disse...

Essa publicacao ficou show. E é isso aí, o blog tem espaço aberto a quem tiver material legal e bem elaborado que se enquadre dentro da nossa proposta. Se alguém quiser publicar uma matéria como essa, entre em contato.

Anônimo disse...

Kill all SUP!!!!!

Denise disse...

sou praticante do sup,ganhei minha prancha de aniversário em novembro,me encontrei em um esporte saudável,não sei o que é ficar doente desde novembro,vivia de cama sempre com alguma doença,agradeço ao Lucio pelas aulas e dicas para uma boa remada,quanto a surfar,fui pegar uma onda grande,caí,me machuquei e não curti,sou merrqueira,pego só marola,meu filho é surfista e enquanto eu remo ele surfa,eu fico no fundão antes da arrebentação,vem uma onda boa e eu grito,OLHA A ONDAAAAAA,e ele nada,nada e pega a onda,fazer uma parceria entre surf e sup não arranca pedaço,A GENTE CONVERSA A GENTE SE INTENDE.

Sérgio Silva - Sérginho negão disse...

Bom dia Pessoal, meu nome é Sergio Silva amigo do Lúcio (vulgo ceará), sou surfista e concordo com os comentários, com certeza tem que partir da consciência de todos o bem estar no surf, independentemente de qual modalidade se pratica, creio que antes de sermos moralistas temos que ser ético, pois de nada adianta criticarmos e fazermos diferente. Neste final de semana passado (27/01) me deparei com uma situação para dar como exemplo, havia um principiante de SUP que não tinha experiência suficiente para surfar no meio da galera, percebi que era um principiante porque reparei na postura dele dentro do mar, no decorrer ele acabou provocando um acidente que poderia ter me machucado, mas menos mal que nada de mais grave aconteceu e só estragou minha prancha, e foi um estrago bem considerável, ocorreu que o SUP ao passar uma onda quebrando não viu que eu já estava surfando a mesma para direita e largou a prancha por cima de mim e mergulhou, poxa, o cara nem viu o que fez, falei para ele surfar mais afastado tendo em vista que ele estava aprendendo a surfar e ele ignorou, fingiu que não estava escutando, não tive tolerância e acabei falando um monte de bobagem para ele e que ficou por isto mesmo. No final das contas eu me desgastei emocionalmente, me estressei, fiquei com minha prancha estragada o cara depois de fazer a lambança saiu dali sem um pingo de humildade e ainda perguntou se eu tinha certeza do que tinha acontecido!!! Só faltou eu pular no pescoço do cara, e claro que depois de tudo isto ele se afastou da crowd.
Mas o que eu quero dizer com este exemplo? Nada disso tinha acontecido se eu tivesse feito o que o Lúcio falou, alertado o cara para sair da crowd antes de tudo isso acontecer. Creio que para isso ocorrer de forma pacífica tem que partir de todos, tanto daqueles mais experientes em alertar de forma tranquila e não ser grosseiro, ou seja, ter paciência, como para aquele iniciante receber a informação com humildade e ter a consciência de que o surf é pratica e não se aprende da noite para o dia.

Um grande abraço para todos e fiquem com Deus.

Leonardo Guarinao disse...

10, 6 é estavel ou nao?